segunda-feira, 1 de outubro de 2007

A tirania do tempo ou a persistência da memória.

Mais um dia, uma semana, um mês...
daqui a pouco mais um ano para nós que já nascemos há mais de 40....nem importa mais. Só importa porque agora o tempo tem mais valor, porque é mais urgente usá-lo bem, porque mais valioso na medida em que forçosamente mais escasso. Não temos já tempo para perder tempo! Essa é a verdade, ou melhor, temos que o perder da melhor forma possível. É talvez nesta escolha que penso que nos devemos permitir ser egoístas... ou pensar em nós e fazer desse tempo o que nos der na real gana!
Há outra coisa que o tempo apura, selecciona, refina e engrandece: os amigos.
Aqueles poucos, são sempre poucos, que vamos amando pela vida fora, com os quais nos rimos e choramos nas alegrias, nas perdas, aqueles para quem os nossos defeitos não são erros antes "características", os que não sendo iguais a nós, nos aceitam e aceitamos porque o coração não condena antes acolhe.
Rir e chorar de nós próprios sem temor, falar ou respeitar o silêncio, correr à chuva, fazer quilómetros, directas, festas e despedidas em que nunca há o desconforto de estar a mais, ser demais ou de menos só é possível quando nos damos de coração.
Só há uma palavra proibida entre amigos:Adeus!
Mesmo que passem décadas é sempre até já!

3 comentários:

Mª Amália Marrafa disse...

disse alguém... não se sabe quem... que "nenhum caminho é longo de mais, se um amigo nos acompanha". E tem razão...

a dificuldade está,em encontrá-los,pois a maior parte das vezes, procura-se muito, por não encontrar.Fica-se com o que resta, por não saber ou não querer fazer melhor.

No intímo de cada um de nós, sabemos, todos, se somos ou não amigos. E não há cá essa questão de amigos verdadeiros - pois não há amigos não verdadeiros -.

Se o coração aperta e as lágrimas e os olhos se alagam pelo sofrimento de alguém; se ris em gargalhadas largas com alguém sem trocares uma palavra; se há um abraço que verdadeiramente te conforta, então tens um amigo!
ATÉ JÁ? pois, até já, porque há uma dimensão que faz toda a diferença. Tudo isto, tem que estar dentro de ti,na ausência do físico e da circunstância fugaz de um momento.

Bigodemaster disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Aguaaferver disse...

Talvez "a tirania do tempo e a persistência da amizade", fosse o título que eu daria a este texto magnífico que constitui uma das melhores descrições da amizade que eu tenho lido . Talvez por ser esta descrição, um reflexo de como de facto a sente a autora.